9/26/2008

>< sexta


iuupi. sexta")
Tentei postar trocentas e uma vezes aki, ontem, mas deu erro e deu raiva e deu vontade de sair, ai saí!
¬¬
Bem hoje venho irforma-lhes que é dia do amante por isso deixo uma reportagem que li no site bolsa de mulher para vocês fieis e in-fiéis de plantão.
"

Hoje é o Dia do Amante - os motéis devem estar cheios. Ainda que a gente viva em uma sociedade que se diz monogâmica, não nascemos ontem e sabemos que as traições andam cada vez mais comuns. E com uma novidade: se, no passado, os homens eram tidos como mais propensos a trair, atualmente essa máxima está fora de moda. As mulheres traem, sim, senhor, pulam a cerca e espalham chifres por aí. Perguntamos a elas por que e o que elas procuram em um amante.

A vida é uma só e a gente tem que aproveitar. Tenho o meu amor, meu querido, meu parceiro de vida, mas não abro mão de experimentar uma novidade de vez em quando

Ainda que uma relação longa tenha muitos ingredientes saborosos como intimidade, cumplicidade e companheirismo, tem uma coisa que, depois de alguns anos, é difícil acontecer - o arrepio dos primeiros beijos. E faz uma falta... É pelo desejo de sentir esse friozinho que gente como a atriz Tatiane M. acaba pulando a cerca. "Meu namoro é excelente e não pretendo terminar de jeito nenhum. Mas, às vezes, olho para o lado. Por mais que eu tente evitar, chega uma hora que me permito ter as sensações de uma primeira vez com um homem: o toque é diferente, só de beijar já dá vontade de tirar a roupa toda", conta a atriz de 31 anos, adepta do "Carpe Diem". Ela garante que nunca manteve um amante por muito tempo, mas assume que teve alguns pequenos casos extraconjugais nos quais o que mais a atraiu foram as labaredas dos primeiros beijos. "A vida é uma só e a gente tem que aproveitar. Tenho o meu amor, meu querido, meu parceiro de vida, mas não abro mão de experimentar uma novidade de vez em quando", diz ela.

A vontade de trair pode ser vista como uma pista de que algo está faltando na relação. E se há lacunas sem preenchimento dentro de casa, a mulherada preenche por fora. Por exemplo, a designer Andréia S., de 29 anos, adora dançar. Seu marido detesta. "A dança é uma coisa sem a qual eu não vivo. É uma necessidade mesmo. Foi dançando que conheci uma pessoa que veio a se tornar muito especial pra mim", revela a designer, que tem um amante há seis meses - um pé de valsa. "Isso uniu muito a gente, porque nós dois adoramos dançar juntos. E quem dança está se abraçando, se acariciando, no mesmo ritmo... É muito sensual", diz ela, que por muito tempo insistiu para que o marido tomasse aulas de dança de salão. "Ele não quis aprender e deu no que deu!", conta.

Ele é grosseiro. Ele é desleixado. Ele sai com os amigos na sexta à noite. Ele vacila. A esposa chora, arranha o tapete, xinga e... arranja um amante, só para dar o troco . Acontece mais do que se imagina e aconteceu com Viviane R., de 28 anos. Ela estava casada há menos de um ano e de saco cheio de reclamar do marido. "Até que um dia conheci um cara e saí com ele. Não foi nada demais, mas eu estava precisando disso para me sentir poderosa, bonita, desejada", revela ela, que manteve a situação por algum tempo. "O meu marido estava merecendo, só fazia besteira. Eu nunca contei que tinha arrumado outro, mas ele percebeu que eu estava diferente e tratou de andar na linha", diz Vivi, que não se arrepende de nada. "Meu marido anda numa fase boa, então estou quietinha. Mas se ele começar a aprontar de novo, não vou ficar sozinha chorando em casa. Vou me divertir e curtir a vida!", ameaça.

O ser humano é um ser desejante, e o desejo é um fluxo: sempre há o desejo da vez. Mesmo que a mulher tenha um companheiro responsável, carinhoso e apaixonado, ele nunca será perfeito

O psicólogo Jadir Lessa afirma que existe o mundo real e o mundo imaginário, das idealizações. "Quanto mais uma pessoa consegue viver no real, no concreto, sem fantasias e ressentimentos do passado, mais ela vai ter contato com o homem real que está ao seu lado. O ser humano é um ser desejante, e o desejo é um fluxo: sempre há o desejo da vez. Mesmo que a mulher tenha um companheiro responsável, carinhoso e apaixonado, ele nunca será perfeito. A mulher gostaria que ele tivesse um olho azul que ele não tem, ou que fosse cinco centímetros mais alto. Em um primeiro momento, ela reclama do marido. Depois, quando encontrar um homem com as qualidade das quais sente falta, o elege seu amante", explica o psicólogo, lembrando que o amante pode até ter olho azul, mas não tem algumas qualidades do marido e ainda tem seus próprios defeitos.

Para Jadir, a traição por vingança é muito comum. "Nesse caso, não importa como foi o encontro com o amante, mas sim ter acontecido esse encontro. A mulher então se afirma como uma pessoa livre e seu gozo não é o orgasmo e sim o prazer da vingança", finaliza.


Obs: A Flor que se cheire diz: Eu amo o meu marido e não concordo com a infidelidade. Mas como aki é um espaço pra se achegar.. se achegue então..

2 comentários:

Mr. Jairo Souza 27 de setembro de 2008 15:10  

Eu concordo que o ser humano é um ser livre, independente, não sou mt dessa onda das pessoas ficarem se prendendo e se acharem proprietárias uma das outras. Por mais q o casamento seja perfeito desejo é desejo, trair seus conceitos fuga da realidade, enfim sempre existirá a curiosidade do que vc poderia viver! do extra!

gostei da parte:

"O ser humano é um ser desejante, e o desejo é um fluxo: sempre há o desejo da vez. Mesmo que a mulher tenha um companheiro responsável, carinhoso e apaixonado, ele nunca será perfeito!"

insideme 29 de setembro de 2008 20:22  

que texto fantástico, menina, adorei! e infidelidade é um caso sério mesmo, homem tem q saber dar valor ao que tem e vice-versa, mulher precisa abrir os olhos e valorizar seu homem, senão, já era! bjs

  © Blogger Template by Emporium Digital 2008

Back to TOP